quinta-feira, outubro 07, 2004

Questionando o questionamento?

Respondendo aqui (pois depois de um tempo os contários acabam indo pro limbo), Dom Carlos foi, não o primeiro, mas um dos principais autores a consolidar neste ser a noção de que somos mais do que pensamos. O autor nos conduz a um momentâneo descartar (...) daquele pensamento cartesiano e linear a que estamos acostumados.
É muito fácil perceber que somos teimosos em querer que nossa mente dê conta de tudo que possa transcender explicação. Quem leu as partes que tratam sobre o Nagual entenderá o que estou falando.
Podemos, por exemplo, inferir que o universo é finito. O que, então, haverá depois que ele acaba? Mas, se partimos do pressuposto de que o mesmo é infinito, nosso intelecto não consegue alcançar essa imensidão! E, no entanto o conceito de paralelas é o de 2 retas que se cruzam no infinito...
Jung dizia que: “Quanto mais predomina a razão crítica, mais a vida se empobrece; mas quanto mais aptos formos a tornar consciente o que é inconsciente, maior parcela de vida integraremos. Sobrestimar a razão tem algo em comum com o poder absoluto do Estado: sob sua dominação, o indivíduo perece.”!
Também afirmavava que:”Todo processo psíquico consiste numa imagem e num ser que está imaginando, senão nenhuma consciência poderia existir e o evento não teria fenomenalidade. Também a imaginação é um processo psíquico, e por isso é completamente fora de propósito perguntar-se se a iluminação (o satori, por exemplo) é ‘real’ ou ‘imaginária’”.
O que pretendo dizer é que o intelecto não engloba tudo, assim como a teia que vejo não se confunde com a aranha que a teceu, muito menos com o teto onde está instalada.
Posso escolher nada na beira da praia, tendo “tudo” sob controle, mas, corro o risco de jamais saber o que é ser levado pela força da correnteza e mergulhar nas profundezas do mar... Claro, pelos relatos e registros em vídeo posso deduzir e antever um pouco do que se encontra lá, mas isso não é Conhecer.
Nada contra o uso da lógica e da racionalidade. O uso dessas faculdades sempre me foram tão prazerosas quanto uma boa partida de xadrez. Só acho que devemos contar com outras coisas. Ninguém fica racionalizando o orgasmo no momento em que ele chega... HEHEH
Abração, pessoal. E desconfiem de toda certeza. É saudável (eu acho)...