terça-feira, novembro 16, 2004

Alguma coisa que sussurra

*******Entro com a alma incendiada.
*******Logo depois outra pancada
Soa um pouco mais forte; eu, voltando-me a ela:
*******“Seguramente há na janela
****Alguma coisa que sussurra. Abramos.
****Eia, fora o temor, eia, vejamos
****A explicação do caso misterioso
********Dessas duas pancadas tais.
Devolvamos a paz ao coração medroso,
********Obra do vento, e nada mais.”