terça-feira, dezembro 14, 2004

Há muito tempo, numa galáxia não muito distante...

A memória é um instrumento fascinante. às vezes nos lembramos de fatos banais que ocorreram num reles átimo na pré-história de nossa existência bípede, enquanto temos uma dificuldade incrível de recordar o que comemos hoje no café da manhã!
A minha lembrança mais antiga, pelo menos uma tão marcante que parece ter acontecido ontem, é de quando eu tinha menos de 2 anos e morava na primeira de 4 casas que tive no bairro onde moro ainda hoje. Eu estava na cozinha e subi na mesa, com um enorme aracnídeo em meu encalço! Meu pé escorregou sobre uma faca grande e afiada que, por sua vez escorregou para dentro do corpo da aranha e deu cabo da dita cuja!
Quer dizer... a minha primeira lembrança é de uma enorme e peluda aranha na qual eu enfiei uma coisa também enorme para ela parar de chatear!!! Pena que a Bruna viajou, pois, certamente ela faria algum comentário freudiano a respeito! hehe
Mas antes que alguém pergunte, isso não criou nenhum trauma de aranhas! Aquele foi só um aviso do risco que a gente pode correr por um pouco de emoção em nossas vidas! Aquela adrenalina gostosa de andar na montanha-russa, entende? rsrs...
Obs: não me perguntem que diabos é um "átimo"!