terça-feira, janeiro 25, 2005

See no evil, hear no evil, say no evil

Lembram daqueles 3 macaquinhos que sempre apareciam nos antigos desenhos animados ? Um tampava os ouvidos com as mãos, o outro os olhos e o terceiro a boca ( não necessariamente nessa ordem).
Bom, hoje queria frisar a parte do mal que podemos causar com o que falamos. Emitir julgamentos severos pode ser algo perigoso se estes forem dirigidos a uma pessoa que está desarmada de espírito.
Jamais diga a uma criança que ela que ela é burra, inútil ou que nunca vai ser alguém na vida. As palavras nessa fase tem uma força muito grande. O que pode acontecer é ela acreditar naquilo que foi dito e realmente se tornar o que você projetou nela.
Também quando brigamos com alguém de quem gostamos convém ter cuidado. Certa vez, tive uma discussão feia com uma amiga. Disse e ouvi coisas que não queria (nem precisava, na verdade). O tempo passou, a amizade foi sendo retomada gradativamente até voltar ao normal. Mas aquelas palavras proferidas continuaram ecoando na minha cabeça...
Eu tenho sempre uma coisa em mente: por mais que vc faça para se redimir das injustiças que causou a alguém, nada vai trazer de volta a alegria roubada naquele momento. Cada sorriso e cada ferida continuam congelados no tempo. É como uma gravura indelével no livro da nossa vida. Portanto, não custa nada ter um pouco de responsabilidade nesse sentido.
O que você quer deixar de legado para as outras pessoas?
****************************************************
No som: The Evil That Men Do (Iron Maiden)