quinta-feira, maio 26, 2005

A Ilha das Flores é logo ali

Aproveitando essa história de porco, não sei se vocês já assistiram a um curta-metragem chamado Ilha das Flores. É um trabalho de 1989, sendo o curta mais premiado de todos os tempos!
Eu o assisti há muitos anos no cinema, na época em que exibiam curtas brasileiros antes de cada filme e fiquei imediatamente fascinado pela narrativa superinteligente e bem-humorada. Usando de um tom quase o tempo todo cômico, pra chegar a um tema bastante sério e chocante, que é o fato de que há pessoas se alimentando de lixo por esse mundo afora; o roteiro chega mesmo a ser brilhante.
A seguir, um resumo pra vocês da história. Não é preciso ler tudo ,qualquer trecho já rende uma reflexão e até mais que isso :


- Estamos em Belém Novo, município de Porto Alegre, estado do Rio Grande do Sul, no extremo sul do Brasil, mais precisamente na latitude trinta graus, doze minutos e trinta segundos Sul e longitude cinquenta e um graus, onze minutos e vinte e três segundos Oeste.

- Caminhamos neste momento numa plantação de tomates e podemos ver à frente, em pé, um ser humano, no caso, um japonês.

- Os japoneses se distinguem dos demais seres humanos pelo formato dos olhos, por seus cabelos pretos e por seus nomes característicos.

- O japonês em questão chama‑se / Suzuki.

- Os seres humanos são animais mamíferos, bípedes, que se distinguem dos outros mamíferos, como a baleia, ou bípedes, como a galinha, principalmente por duas características: o telencéfalo altamente desenvolvido e o polegar opositor.

- O telencéfalo altamente desenvolvido permite aos seres humanos armazenar informações, relacioná‑las, processá‑las e entendê‑las.

- O polegar opositor permite aos seres humanos o movimento de pinça dos dedos o que, por sua vez, permite a manipulação de precisão.

- O telencéfalo altamente desenvolvido, combinado com a capacidade de fazer o movimento de pinça com os dedos, deu ao ser humano a possibilidade de realizar um sem número de melhoramentos em seu planeta, entre eles, cultivar tomates.

- O tomate, ao contrário da baleia, da galinha e dos japoneses, é um vegetal.

- Um destes tomates, que segundo o julgamento de dona Anete, não tinha condições de virar molho, foi colocado no lixo.

- Lixo é tudo aquilo que é produzido pelos seres humanos, numa conjugação de esforços do telencéfalo altamente desenvolvido com o polegar opositor, e que, segundo o julgamento de um determinado ser humano, não tem condições de virar molho.

- Uma cidade como Porto Alegre, habitada por mais de um milhão de seres humanos, produz cerca de quinhentas toneladas de lixo por dia.

- O lixo atrai todos os tipos de germes e bactérias que, por sua vez, causam doenças. As doenças prejudicam seriamente o bom funcionamento dos seres humanos.

- Mesmo quando não provoca doenças, o aspecto e o aroma do lixo são extremamente desagradáveis.

- Por isso, o lixo é levado para determinados lugares, bem longe, onde possa, livremente, sujar, cheirar mal e atrair doenças.

- Em Porto Alegre, um dos lugares escolhidos para que o lixo cheire mal e atraia doenças chama‑se Ilha das Flores.

- Os empregados do dono do porco estipularam que cada grupo de dez seres humanos tem cinco minutos para permanecer do lado de dentro da cerca recolhendo materiais de origem orgânica, como tomates e provas de história.

- O tomate / plantado pelo senhor Suzuki, / trocado por dinheiro com o supermercado, / trocado pelo dinheiro que dona Anete trocou por perfumes extraídos das flores, / recusado para o molho do porco, / jogado no lixo / e recusado pelos porcos como alimento / está agora disponível para os seres humanos da Ilha das Flores.

- O que coloca os seres humanos da Ilha das Flores depois dos porcos na prioridade de escolha de alimentos é o fato de não terem dinheiro nem dono.

- O ser humano se diferencia dos outros animais pelo telencéfalo altamente desenvolvido, pelo polegar opositor e por ser livre.

- Livre é o estado daquele que tem liberdade.

- Liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda.

Essa última frase, em tal contexto é muito, muito PHoda !

Assistam a este totalmente excelente curta aqui !!!

Ih,Caralho!!! Fazendo aniversário!!!

Esta semana, conforme muito bem lembrado pelo comandante-em-chefe do Barroso, estamos comemorando 1 (um) ano de existência !
O mais irônico é que, naquela época, o Filipensses projetou a estrutura básica deste blog e fez com que eu recebesse o mesmo como um presente-surpresa. E agora, 12 meses depois, me surpreende novamente ao me avisar que chegara a hora de apagar a velhinha (ops! Quis dizer, velinha huahuahuahua)!!!!
Aproveitem para visitar os posts mais antigos e comentar, pois os velhos comentários foram pro espaço por falta de ... espaço! rsrs
Nosso mascote oficial cuja maior alegria é que as visitantes femininas e solteiras afaguem sua cabeça

segunda-feira, maio 23, 2005

Todo dia era dia de índio...

A areia da ampulheta (eu disse ampulheta!)
Se esvaiu um pouco mais
E Bráulio e Amélia não se casaram
Pois viram que o casamento estava
Predestinado a ser uma instituição falida
Resolvendo apenas juntar os trapinhos
E gozar bastante a vida
E como gozaram!!!
Bráulio comporia mais tarde a primeira canção de amor
Da história da humanidade

Aquela que dizia que:
Amélia é que era mulher de verdade !!!
(Isso numa época em que não havia travestis por aí)
Ela fazia gato e sapato dele
E ele adorava aquilo!!!
Lambia seus pés (e outras partes do seu corpo
que não posso citar aqui)
E os dois tinham orgasmos múltiplos
Nem lembravam mais do Edifício Éden
Em Copacabana
(Que já não era tão bacana
e vivia tendo bala perdida como qualquer outro
bairro das grandes metrópoles !)
Iam à igreja aos domingos
E acendiam um incenso durante a semana
Ouviam Genesis direto
E viviam plantando bananeira!!!
Antes de cada trepada
Comiam torta de fruto proibido
Depois, trocavam carícias
Esfregando os pés nos pés do outro...
O que dava vontade de fazer de novo
E de novo e de novo e de novo....
Sim, também tinham que trabalhar
Para pagar suas contas
Mas possuiam tanto daquilo que Freud
Chamaria de pulsão de vida
Que iam levando
Bom, a Amélia levava muito mais
(Se é que me entendem...)
E ela adorava aquilo !!!!

domingo, maio 22, 2005

Indo ao fundo das coisas

No princípio era o útero
E Deus viu que o útero era bom
Mas não podia aproveitá-lo como queria
Então criou o universo para obter reflexo
E ver-Se a Si mesmo e a todas as coisas gostosas da vida
Que ainda iria criar, mas que, no alto de sua onisciência
Já tinha guardadas na Sua caxola divina
Usando , então, de toda sua onipotência
Fecundou a convidativa fenda da Criação Primordial
Como era (é e sempre será @.com!) Deus
Não precisou esperar 9 longos meses
Senão alguns pentelhonésimos de segundo
E, num átimo (seja lá o que for isso)...
Fez-se a Luz !!!
E viu Ele que a Luz era boa
Mas para que esta pudesse existir
Necessitava de um pouco de escuridão
Daí erigiu os planetas, estrelas e asteróides
Para servir de anteparo e fazer uma sombrinha legal
Mas o cosmos era muito grande
E havia muita manutenção a ser feita
Deus não pestanejou e, num belo fim de semana
Criou o Homem para arrumar a casa
Sem, contudo, assinar carteira
Mas percebeu que o homem era meio desengonçado para
Certas tarefas e, assim, criou a Empregada Doméstica !
E o Homem viu que a Mulher era boa! Muito boa!
Bráulio (esse foi o avô de Adão) logo foi seduzido
Por Amélia (irmã de Evita), aquela safada
Ficou de pau duro e só queria saber de putaria
De tal forma que, onde havia o Amor (pai do rebelde Eros)
Passou a existir também a Paixão (mãe e irmã de Pathos)
Deus, irado por ser incomodado em seu descanso dominical,
Mandou uma serpente pra expulsar os 2 de casa
À época ,eles moravam numa cobertura em Copacabana
Eles só tiveram tempo de levar algumas maçãs e olhe lá
E daí, deu no que deu :
A humanidade se...
Quem souber , complete a frase rsrsrs

sexta-feira, maio 13, 2005

Idiossincrasias

Só por um momentâneo lapso de razão (em homenagem a um disco do Pink Floyd), consegui suspender o julgamento por completo. Ademais, somos diamantes cobertos de carvão...
Como diz a sabedoria popular com seus panos quentes e deixa-disso:
Amigo não tem defeito, tem idiossincrasia!
OBS: Seja lá o que for isso ! heuheuhue

Naturalmente

Quem dera, ser "eu mesmo"
Menos expressão máxima do egoísmo
Muito mais meu auto-projeto
Não tanto o que esperam de mim
Mesmo que o seja de vez em quando
Não excluo o prazer do outro
Afinal, alegria é reflexo
Não precisa compreender
É só respeitar minha camisa amarrotada
Até tive tempo de passá-la hoje de manhã
Mas preferi usá-la assim, naturalmente
Aliás, desabotoei toda ela
Pro meu peito ver o Sol
E saber que há um sopro de vida
Em cada ato de plena vontade
Inconseqüência sem armas nem escudos
A energia de quem não deve nada a ninguém
Além do que ele próprio merece
A chance de mostrar quem é
E poderia ser sem o míope olhar público
"Eu mesmo"...
Dane-se o espelho e suas criticazinhas vãs
Que me diga, pelo menos uma vez
Coisas mais importantes
Que a barba mal-feita
Assim, está perfeito!

sábado, maio 07, 2005

Espírito livre - ou : Quem pode dizer? ...

O velho fotógrafo aproveitou que o índio havia pescado um imenso peixe só com as mãos, preparou sua máquina lambe-lambe (que havia comprado no Antiquário) e bateu uma foto do pele vermelha.
Este último, quando descobriu o que tinha acontecido, foi correndo atrás do velho para matá-lo por ter capturado seu espírito. Pra quem não sabe, há uma enormidade de gente que acredita que a foto aprisiona o espírito do fotografado.
O monge, que assistia a tudo, tentou resolver a situação e brecou o selvagem. Evitou que este atacasse o velho e disse que lhe devolveria o espírito roubado, perguntando para quem o índio rezava. E este informou que era ao Sol, ao fogo, à agua e ao vento.
O monge imediatamente acendeu uma fogueira, jogou ali a fotografia geradora da situação, pegou um pouco d'água e apagou o fogo que evaporou, entrando pelas narinas do agora aliviado indígena. O mesmo perguntou se o monge acreditava nessa coisa de fotografia prender o espírito. Ao que o monge respondeu :
-" E quem pode dizer que não é assim?"
E jogou no fogo também a fotografia que haviam tirado dele, talvez para agradar o índio (pois haviam lhe ensinado no templo de onde viera a não crer em deuses) ou, talvez, para prevenir...
Mas que lição de lucidez e humildade .

domingo, maio 01, 2005

Algumas ponderações sobre amizade e confiança ...

Quando postei aquele cartoon mais recente do filósofo ("Tlust no one"), a Bruna comentou que alguém deve ter pisado no meu calo. Eu iria mais longe e diria que se fosse só no calo era refresco. Meu espírito se sentiu esmigalhado frente a certas coisas que vivenciei nos últimos tempos!
Hoje, refeito do rolo compressor-astral, e após ruminar bastante, deixo o registro das nuvens que passaram pelo céu da minha cabeça a respeito de amizade e confiança:
*******************
1) Amizade quase sempre é de graça, confiança, muitas vezes, custa caro...
2) Amigo é que nem parafuso, a gente só conhece mesmo quando aperta...
3) Amizade é um termo que só deveria ser usado postumamente. Ou seja, no dia do enterro, em frente à lápide do pretenso amigo: "É ... fulano foi um grande amigo, pelo menos eu acho"...
4) Amigo não é aquele que lhe sorri, mas aquele que até chora junto com você.
5) Eu sei que os amigos existem, só não me peça pra apontar quem são eles e onde eles estão. Certas coisas fogem à nossa capacidade... Logo, todo amigo é oculto!
6) Por mais que alguém seja seu amigo, quando ele tiver de escolher entre salvar o rabo dele e o seu, certamente ele escolherá salvar o dele próprio!
7) A mão que afaga é a mesma que apedreja (essa frase permanece, pra mim, como uma das maiores verdades já ditas em forma de poesia) !
8) Não existe amizade a prova de decepção!
9) Apesar disso tudo, não acho certo viver esperando por uma rasteira de um "amigo". Apenas sei que ela pode vir, pois as pessoas são como um rio que recebe águas diferentes todos os dias.
10) Quanto mais a gente vive e menos espera do mundo, também menos se decepciona. Não peça a um amigo mais do que ele pode te oferecer, nem conte com uma perfeição que você mesmo não possui...
11) Uma mulher disse ao monge que era muito doloroso confiar nas pessoas. O monge respondeu assim: "É verdade! Mas não é muito mais doloroso não confiar?"
12) Não se consegue nada fugindo ou mascarando os fatos. Amigos de verdade são raros. Mas isso não significa que devamos perder nossa capacidade de amar e fazer o bem ao próximo.
13) Ninguém está sozinho no mundo! Conhece-te, pois, a ti mesmo!