terça-feira, novembro 29, 2005

Rituais

Tem gente (e não é pouca) que curte cumprir um ritualzinho básico aqui e acolá.
***********
Eu, particularmente, gosto de ir à feira todo domingo de manhã em busca de antigüidades, livros, discos etc. Fiquei viciado já.
**********
O domingo em que não dá pra ir, pode crer que passo a semana seguinte sentindo que deixei de comprar aquela peça rara que faltava na minha coleção...
**************
E vocês, tem algo que façam sempre do mesmo jeito, naquele mesmo horário (não vale sacanagem, até porque a primeira parte seria comprometedora... "sempre do mesmo jeito" rsrs) ?

sábado, novembro 19, 2005

Histórias de fantasmas

Pra quem tem o canal Sony e curte assuntos que dizem respeito ao aquém do além (como diria o Bento Carneiro), uma pedida são duas séries que estrearam recentemente: Ghost Whisperer e Medium.
***********
A primeira, com a atriz Jennifer Love Hewitt (de Party of Five e Eu Sei que Vocês Sabem o Nome Daquele Filme Famigerado de Título Imenso Sobre o que Alguém Fez no Verão Passado), mostra o trabalho que dá ver e conversar com as almas penadas e tentar conduzí-las até a luz (ali, ninguém vai pro inferno).
Pontos positivos: Ajuda você a não ter um conceito tão negativo dos fantasmas, pobres almas que não conseguem se desprender do mundo material.
Pontos negativos: Não espere nenhum sustinho...Ah, e a Jenny continua posando de adolescentezinha cativante.
************
Já a outra, com Patrícia Arquette, trata de uma mulher que usa seus dons mediúnicos para ajudar a polícia a solucionar crimes.
Pontos positivos: Patty dá um show de interpretação e ganhou o Emmy pelo seu papel, que é baseado em relatos de uma pessoa da vida real.
Pontos negativos: A esse ponto, esta história de fantasmas já não surpreende mais ninguém. O conceito de The Dead Zone é mais criativo.
*************
Seja como for, valem uma assistida sem compromisso. Inté, pessoal !

domingo, novembro 13, 2005

Bons ventos !!!

A semana mal começou e já começou bem (ops! isso não era pra ser um paradoxo rsrs)...
******
Um amigo de longa data me chamou ao portão e perguntou se eu gostava de tais e tais LP's (ou discos de vinil pra quem nunca teve um) : Sanctuary, The Beatles, The Mission, Elvis, Vivaldi, Beethoven, etc. Eu respondi prontamente que sim. E ele simplesmente os entregou na minha mão, dizendo que, caso contrário, os jogaria fora. E foi embora.
É bom ser brindado com algo assim de vez em quando, não é?
Obs: Como eu já vi essa novela de gente se desfazendo de discos antes, vou guardá-los aqui, para o caso dele mudar de idéia...
********
Bom, houveram outros motivos para eu achar que a semana começou bem, mas é melhor curtir aqui quietinho pra não estragar...
********
Esta é uma semana em que se decidirá algo importante em termos profissionais. Mais pra frente eu conto a vocês o que rolou.
*******
Grande abraço e uma excelente semana!

Elocubrações em torno das emoções "negativas"

A mente humana é fascinante. Quem percorre esse labirinto que é a nossa psique, normalmente o faz seguindo o novelo deixado pelos Freuds, Jungs, Reichs, Lacans e outros que passaram pelos seus corredores anteriormente.
Tomemos, por exemplo, duas emoções ditas negativas: a tristeza e a raiva.
Numa situação de mágoa, seja a briga séria com um grande amigo ou qualquer outra em que o indivíduo se sinta ultrajado, há as duas alternativas. Você pode achar que foi injustiçado e ficar pra baixo, ou adotar a postura de que o outro é um F.D.P. que ainda vai engolir o que disse !
No primeiro caso, podemos dizer que há uma emoção incapacitante, onde o sujeito se vê passivo e pequeno em sua dor. No segundo, teríamos uma emoção que impulsiona, de certo modo, a ir pra frente (vc já ficou puto da vida com algo que lhe disseram e prometeu a si mesmo que iria ter sucesso em seus objetivos apesar do que foi dito?). Não deixa de ser um mecanismo de fuga, muitas vezes, pois, em ambos os casos, a pessoa se vê como vítima de algo ou alguém. Também ambos os estados têm seus prós e seus contras...
Claro que também há uma terceira via que é não se deixar abater nem enfurecer pela situação, por mais grave que pareça. Mas isso talvez seja mais próprio dos monges tibetanos. Inteligência emocional é um termo ainda relativamente novo em nosso vocabulário...
E você? É mais de ficar down ou de mandar para aquele lugar?
OBS: Bru, não sei se falei muita abrobrinha, se puder nos ajudar a descascar esse pepino...

quarta-feira, novembro 02, 2005

Por uma utopia não tão distante...

Cada um tem uma idéia do que seria um mundo perfeito. Alguns acham que seria um mundo onde só se fizesse sexo o dia inteiro. Outros, uma Terra que fosse chamada de Planet Hemp.
E pra você? Qual seria o seu mundo perfeito?